Eloí Elisabete

Sobre

Eloí Elisabete Bocheco é catarinense do município de Zortea, e trabalhou a maior parte de sua vida como professora de crianças e adolescentes em escolas da rede pública de Santa Catarina. Publicou Uni... Duni... Teia (Prêmio Boi-de-mamão da Câmara Catarinense do Livro) e A de Amor, A de ABC e Ô de casa!, livros de poemas para crianças. Publicou pela Paulinas O pacote que tava no pote e Contra feitiço feitiço e meio e, pela EdUFSC, o livro de crônicas Pedras Soltas. É responsável, junto com Zenilde Durli, pela pauta do jornal de literatura infantil e juvenil O Balainho, da Universidade do Oeste de SC (Unoesc). Em 2003, recebeu o prêmio LEIA COMIGO! da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil/RJ pelo relato ficcional Não vá embora, Clarice!. Em 2005, conquistou o Prêmio Casa de Cultura Mario Quintana, em Porto Alegre/RS com Beatriz em trânsito e em 2006, o prêmio Literatura para Todos, do MEC, com Batata cozida, mingau de cará.